NOSSAS ENTREVISTAS

Tema: Condromalacia Patelar

 (071) 35... Ver mais >

Viva Mais Viva Melhor – Também conhecida como joelho de corredor, a condromalácia patelar consiste no amolecimento da cartilagem da região que acaba ocasionando agulhada e pressões, principalmente quando a pessoa vai correr. Se não tratada, a cartilagem pode ficar inteiramente desgastada e inflamada levando o paciente a sentir fortes dores no joelho. Porém, não é preciso muita preocupação, pois o tratamento é simples, se o nível de desgaste não for avançado não é necessário abandonar as pistas. E quem conversa conosco sobre este assunto é o ortopedista doutor Gustavo Azi, especialista em cirurgia de joelho.

Doutor, primeiramente explica para os nossos ouvintes o que é condromalácia patelar e como é que ela surge.
Dr. Gustavo Azi – Boa tarde Olga, é um prazer estar conversando contigo aqui no programa e um abraço a todos os ouvintes. A condromalácia patelar, como você falou previamente, é um estágio, na verdade, do desgaste da cartilagem da rótula, a condromalácia é quando existe um amolecimento. Existem outros estágios da condropatia patelar, que é o desgaste da cartilagem da rótula, em que existem alterações diferentes, mas na condromalácia patelar existe apenas um amolecimento. Geralmente ela surge em consequência de um desequilíbrio muscular.

Viva Mais Viva Melhor – E qual que é a função da cartilagem da patela e porque que ela está sujeita a tanta pressão, doutor?
Dr. Gustavo Azi – Em primeiro lugar é importante que a gente saiba a função da patela. A patela é um osso que a gente chama de sesamóide, a função principal dela é potencializar o movimento de dobrar e esticar o joelho. Então a cartilagem da patela por sua vez, ela permite que essa potencialização, que esta função da patela, se dê de maneira harmônica e sem atrito com o osso do fêmur. Então a cartilagem serve para que o deslizamento seja uma coisa suave e confortável para o paciente.

Viva Mais Viva Melhor – Qualquer pessoa pode desenvolver a condromalácia patelar, doutor?
Dr. Gustavo Azi – Sim, qualquer pessoa está sujeita desde que ela evolua com o desequilíbrio muscular. A gente costuma dizer que a causa do desequilíbrio pode ser ou uma atividade física malfeita, ou atividade física em excesso ou a falta de atividade física. Isso tudo pode gerar um desequilíbrio muscular que vai aumentar a pressão da rótula contra o fêmur e fazendo a condromalácia patelar ao surgir.

Viva Mais Viva Melhor – Quais são os principais sintomas de quem desenvolve a condropatia patelar?
Dr. Gustavo Azi – Os principais sintomas são dor, muitas vezes não é uma dor muito forte, é apenas um incômodo. Outro sintoma pode ser uma sensação de pressão aumentada dentro do joelho e a crepitação, que são os estalidos.

Viva Mais Viva Melhor – E como é que é feito o diagnóstico da condromalácia patelar?
Dr. Gustavo Azi – O diagnóstico é feito através do exame físico, olhando-se a história do paciente de uma maneira bem detalhada, examinando-se o joelho do paciente, a gente já tem algum teste no exame físico que nos fazem pensar bastante nesta possibilidade e a ressonância nuclear magnética que é o exame final que fecha o diagnóstico.

Viva Mais Viva Melhor – O paciente com condromalácia patelar pode ficar sem andar, por exemplo?
Dr. Gustavo Azi – Não, isso é muito difícil de acontecer porque a condromalácia causa dor e geralmente causando a dor o paciente é obrigado e levado a procurar ao médico e o tratamento não é muito complicado.

Viva Mais Viva Melhor – E quais são os primeiros cuidados que o paciente precisa ter para evitar que se agrave a condromalácia patelar?
Dr. Gustavo Azi – Os primeiros cuidados já devem ser tomados no momento em que ele decide fazer algum tipo de atividade física. Então tem que procurar atividade física bem orientada, utilizando calçados adequados e fazendo atividade sob uma orientação de um profissional de educação física que é fundamental nesta prevenção. Naqueles casos em que a condromalácia já está instalada tem que procurar o médico para que se faça o tratamento de uma forma precoce e evite as consequências danosas da condromalácia.

Viva Mais Viva Melhor – E tem jeito de resolver o problema da condromalácia patelar?
Dr. Gustavo Azi – Tem jeito. Eu costumo dizer que a condromalácia patelar tem um tratamento que é simples, porém é um tratamento chato. Por que isso? Porque é um tratamento que envolve mudança no hábito de vida. Então depende muito mais do paciente do que do médico. Então o paciente vai precisar reequilibrar aquela musculatura que causou a condromalácia patelar e, para que ela possa reequilibrar essa musculatura, ela vai ter que se enquadrar numa atividade física bem-feita e mudar as vezes alguns hábitos de vida como as posturas viciosas durante o trabalho.

Viva Mais Viva Melhor – E as recomendações? Quais são as recomendações mais frequentes no tratamento da condromalácia patelar?
Dr. Gustavo Azi – Evitar permanecer muito tempo com os joelhos dobrados a mais de 90 graus, evitar o uso excessivo do sapato alto que também é uma causa da condromalácia patelar e intensificar, durante a atividade física, os alongamentos das musculaturas posteriores da coxa e panturrilha. São as principais orientações para que se inicie um tratamento da condromalácia patelar.

Viva Mais Viva Melhor – E quê que é a viscossuplementação? Quando que ela é indicada, doutor? Qualquer paciente pode se beneficiar desta técnica?
Dr. Gustavo Azi – A condromalácia patelar tem o tratamento fisioterápico que era esse que a gente estava discutindo previamente e tem o tratamento medicamentoso também. Então existem algumas drogas que auxiliam no tratamento que são os famosos condroprotetores. Dentre eles nós temos os condroprotetores que são injetados dentro da articulação que a gente chama popularmente de viscossuplementação. A maioria dos pacientes que já possuem algum grau mais avançado de condropatia patelar são aqueles pacientes que estão indicados de receberem a viscossuplementação, mas aqueles pacientes que ainda tem uma condromalácia patelar em fase inicial geralmente não necessitam deste tipo de tratamento.

Viva Mais Viva Melhor – E as chances, quais são as chances de melhora e quanto tempo dura o efeito da viscossuplementação?
Dr. Gustavo Azi – Bom, o tratamento geralmente surte o efeito de 4 meses, este é o tempo médio de alívio do sintoma. O quê que os estudos mostram? Os estudos mostram que a viscossuplementação permite uma melhora significativa do quadro clínico e com isso, durante estes 4 meses, o paciente vai ter o espaço suficiente, voltar ao tratamento principal que é o tratamento de orientação de atividade física para que ele reequilibre a sua musculatura sem dor e daí trate a condromalácia de maneira definitiva.

Viva Mais Viva Melhor – A condromalácia patelar tem cura?
Dr. Gustavo Azi – Tem sim. Através da orientação de atividade física e em alguns casos da utilização de condroprotetores como a viscossuplementação, por exemplo

Viva Mais Viva Melhor – E no caso da cirurgia, como é que é feita a cirurgia para resolver o problema da condromalácia patelar?
Dr. Gustavo Azi – A condromalácia patelar não é uma patologia que tem indicação cirúrgica, mas quando a condromalácia patelar não é tratada aí sim você pode levar a uma condropatia em estágios mais avançados onde você tem erosões da cartilagem e muitas vezes até exposição do osso embaixo da cartilagem e em alguns casos – são raros – você pode lançar mão dos transplantes osteocondrais e de outras modalidades de tratamento para lesão de cartilagem.

Viva Mais Viva Melhor – Doutor, muitas pessoas ficam na dúvida sobre a aplicação de bolsa de água quente ou gelada. No caso da condromalácia patelar o quê que é melhor? O uso do tensor também pode ser recomendado?
Dr. Gustavo Azi – Bom, na fase aguda a gente recomenda a utilização da bolsa de gelo. Ou seja, você fez uma atividade física e naquele momento em que você terminou a atividade física está incomodando você deve utilizar a bolsa gelada. Nos casos crônicos, você está fazendo o tratamento de maneira mais crônica, a utilização do calor também dá uma sensação de conforto muito grande. Lembrando que este é um tratamento paliativo, os meios físicos ajudam no tratamento da dor, mas não vão tratar de fato a condromalácia patelar. O tratamento é basicamente a orientação de atividade física como a gente tem insistido durante a entrevista.

Bem, o tensor, é muito interessante isso, se você conversar com os pacientes a grande maioria vai dizer para você que quando utilizou o tensor, a joelheira de neopreme ele sentiu um conforto maior. Os estudos não mostram nenhum tipo de melhora do quadro de alteração do estado da doença com a utilização do tensor. De fato, ele dá um conforto maior. Então quê que eu geralmente sugiro aos meus pacientes? Utilizem o tensor se você tiver incomodando muito, mas evite utilizar de maneira frequente. Por que? Porque o tensor pode impedir alguns tipos de atividade e uma amplitude de movimento reduzida pode não contribuir com o reequilíbrio da musculatura do membro inferior.

Viva Mais Viva Melhor – Ok. Para finalizar, doutor, como o paciente com condromalácia patelar deve se comportar num momento de crise, após ter andado num Shopping Center, por exemplo, ou feito uma longa caminhada?
Dr. Gustavo Azi – A gente orienta o tratamento na fase aguda com gelo, crioterapia (bolsa de gelo) por pelo menos 3 vezes ao dia durante 20 minutos, não ultrapassando isso para não queimar a pele. O uso de anti-inflamatórios não-hormonais por períodos curtos de 3 a 5 dias também é recomendado, mas lógico que para isso vai precisar da prescrição médica e o repouso daquela articulação até que o paciente fique completamente sem dor e possa buscar o tratamento definitivo.

Viva Mais Viva Melhor – Conversamos com o ortopedista doutor Gustavo Azi, especialista em cirurgia de joelho. Doutor, muito obrigada e até a próxima.