NOSSAS ENTREVISTAS

Tema: Clareamento Dental a Laser

 (071) 99... Ver mais >

Olga Goulart – Escovar os dentes, passar fio dental e finalizar com enxaguante. Você cumpre essas etapas da higiene oral e percebe que, mesmo assim, o seu sorriso está amarelado. Uma boa solução é o clareamento dental. Essa técnica pode ser feita a laser em consultório ou em casa, mas existem muitas dúvidas em torno desse assunto e, para esclarecer um pouco melhor esse procedimento, quem conversa conosco é a doutora Marta Jones, ela é odontologista, atua na área de clínica geral e cirurgia oral, além de estar cursando especialização em implantodontia e laserterapia. Doutora, vamos explicar aí a diferença entre o clareamento dental caseiro e o feito a laser?
Dra. Marta Jones – Então, como você falou, é um tema que gera muitas dúvidas, tanto entre os pacientes e geram discussões também entre os cirurgiões-dentistas. Então o clareamento dental, ele pode ser feito de duas formas, seriam o clareamento caseiro, que é feito pelo próprio paciente, e clareamento em consultório, que é feito pelo cirurgião-dentista. O clareamento dental caseiro, ele vai ser feito pelo paciente, na casa dele, né? Sob supervisão do cirurgião-dentista, mas antes dele iniciar esse tratamento é importante que o paciente, ele vá até o consultório, na qual a gente vai avaliar o que foi que causou a alteração desses dentes, porque não é qualquer alteração de cor que a gente vai conseguir resolver com o clareamento dental, em seguida a gente vai confeccionar uma moldeira individual, essa moldeira ela é exclusiva do paciente e aí a gente vai entregar também um gel clareador para ser feito esse tratamento em casa. É importante que o paciente ele siga todas as orientações passadas pelo cirurgião-dentista para que evite que tenha algum processo inflamatório na região da gengiva, devido ao extravasamento do gel clareador. Esse tratamento, ele dura em torno de duas a três semanas, isso vai depender do motivo que levou a alteração dessa cor e da estrutura dental de cada indivíduo. Já o clareamento a laser é o clareamento que é feito em consultório. Então essa terminologia de clareamento a laser, a gente evita estar usando porque a luz vai incidir sobre esse gel clareador, na verdade ele só aceleraria o processo do clareamento, ele não vai interferir na cor final, no resultado final desse clareamento. A gente já tem produtos no mercado que não teria mais a necessidade dessa ativação de luz. O laser, quando a gente fala, poderia ser o tratamento com laser terapêutico, na verdade, o que poderia estar diminuindo a sensibilidade, mas não como fonte de luz para influenciar no resultado final do clareamento.

Olga Goulart – O gel clareador utilizado no procedimento caseiro é o mesmo do clareamento em consultório?
Dra. Marta Jones – Tanto faz se a gente vai utilizar o peróxido de hidrogênio ou o peróxido de carbamida, que são dos dois géis que a gente utiliza, porque o que vai causar o clareamento do dente vai ser a liberação do oxigênio e esse oxigênio ele vai estar presente nesses dois produtos. Geralmente a gente utiliza peróxido de hidrogênio no clareamento de consultório, que varia aí em média de 15 a 35% o percentual de concentração de oxigênio, existem produtos no mercado, que eles vendem a 38% e o peróxido de carbamida é o mais utilizado no clareamento caseiro, que eles vão estar presentes em menor concentração. Então na verdade o que é que vai determinar da gente estar utilizando peróxido de hidrogênio ou peróxido de carbamida? Vai estar mais relacionada ao percentual de concentração desse gel, né? Pacientes que têm mais sensibilidade, por exemplo, o ideal seria estar utilizando esses géis em menor concentração, apesar da gente também já ter produtos que tem o nitrato de potássio, que ele vai estar contribuindo para que haja uma diminuição dessa sensibilidade.

Olga Goulart – Doutora, e como é que é feito esse clareamento dental a laser? Tem vantagens desse clareamento feito no consultório sobre o clareamento feito em casa?
Dra. Marta Jones – Sim. Primeiro vamos falar como é feito esse clareamento a laser, então, primeiro como eu falei o paciente ele vai até o consultório, vai ser feita uma anamnese, o diagnóstico de alteração de cor do dente desse paciente. É importante que seja feito o registro inicial da cor do dente, para a gente conseguir fazer um comparativo após o término desse tratamento. Então vai ser avaliado questão de saúde do paciente, se tem gengivite, que é a inflamação da gengiva, ou doença periodontal, então é feita toda essa avaliação antes da gente partir pro clareamento. O clareamento propriamente dito, a gente vai estar utilizando um afastador bucal, na qual ele vai afastar lábio e língua para proteger que tenham tal contato com esse gel clareador, porque o gel clareador ele é um produto ácido, então ele pode causar úlceras ou lesões quando em contato com esses tecidos moles. Então após a gente afastar esses tecidos é importante que a gente faça uma limpeza da superfície do dente, que a gente chama de profilaxia, na qual a gente vai utilizar pedra-pomes e água para promover uma maior penetração desse gel clareador e consequentemente melhor resultado estético. Depois que a gente fez essa limpeza, aí sim a gente vai passar um produto que a gente utiliza, que a gente chama de ‘Top Dam’, que é a proteção da gengiva, ela é uma barreira gengival que a gente faz colocando o limite do dente e da gengiva. Essa barreira gengival, a gente vai fotopolimerizar, a gente usa a luz para endurecer essa barreira e é importante que o cirurgião-dentista, ele sempre cheque se houve um bom vedamento, exatamente porque a nossa maior preocupação é que haja um extravasamento desse gel clareador. Depois que a gente fez tudo isso, aí a gente vai partir para pôr esse gel clareador sobre a superfície dos dentes e aí o tratamento feito em consultório, geralmente a gente deixa esse gel clareador durante quarenta minutos, mas a forma de como a gente vai trabalhar com esse gel vai depender de acordo com a indicação do fabricante, então depende da marca e depende do produto que você vai estar utilizando, peróxido de hidrogênio ou peróxido de carbamida.

Olga Goulart – Qualquer pessoa pode clarear os dentes? A partir de que idade isso pode ser feito?
Dra. Marta Jones – Olha, em relação a idade é uma discussão grande entre os profissionais, né? A partir de que idade que um paciente poderia estar fazendo um clareamento dental. Dezesseis anos já seria uma idade que a gente acredita ser uma idade segura para a gente estar iniciando esse clareamento dental, mas em casos com necessidades reais, como se trata de um paciente de menor, tem uma autorização do responsável legal para que ele libere que o paciente faça esse clareamento. Nesses casos, eu falei necessidades reais, porque as vezes o paciente ele pode passar por algum constrangimento ou aquela alteração de cor do dente o incomoda muito então nesses casos sim, realmente a gente poderia estar indicando o clareamento dental. Mas vou voltar um pouquinho em relação a outra pergunta que você fez que foi em relação às vantagens do clareamento feito em consultório, né? Então é um procedimento que ele é mais controlado, porque ele é feito pelo cirurgião-dentista, o resultado dele é mais rápido, né? Tem casos que já na primeira sessão a gente já consegue obter um bom resultado e precisa de um menor tempo de prevenção de alimentos com poder corante como o café, o refrigerante, vinho, o chá-verde e o shoyu, mas hoje a gente em preconizado que seja feita a técnica mista, que a gente associa clareamento de consultório com clareamento caseiro. Então é sugerido que faça de uma a duas sessões do clareamento de consultório e esse clareamento seja complementado com o clareamento de consultório. Então o tipo de gel, a concentração e o tempo de tratamento deve ser uma decisão entre o profissional e entre o paciente, as vezes o paciente, ele não se sente confortável e seguro de estar fazendo o clareamento em casa, então nesses casos a gente opta que o paciente realmente faça em consultório, já que ele não se sente tão seguro pra fazer.

Olga Goulart – Existe alguma situação em que o procedimento não seja recomendado?
Dra. Marta Jones – Não seria recomendado em casos que o paciente ele tenha algum problema de saúde bucal instalada, né? Então ele seria contraindicado caso o paciente tenha restaurações muitos extensas nos dentes da frente ou os dentes eles apresentem fraturas, é importante que essa troca ela seja feita antes do procedimento. É importante dizer também que o gel clareador ele não vai surtir efeito sobre esses materiais, sobre coroa, sobre resina, sobre implante, ele só vai agir sobre estrutura dental mesmo do indivíduo. Ele não tem nenhuma influência clareadora em relação a esses materiais, pelo contrário, esse gel em contato com essas estruturas pode danificar a superfície desses materiais.

Olga Goulart – E em quanto tempo, em média, doutora, o paciente pode ver os resultados do tratamento a laser ou mesmo caseiro?
Dra. Marta Jones – Como eu falei, o clareamento feito em consultório, as vezes já na primeira sessão a gente já consegue ver esse resultado. Na verdade esse resultado varia muito de pessoa pra pessoa, porque depende da estrutura dental de cada indivíduo, depende do motivo que levou a alteração da cor desses dentes, então a gente conclui clareamento de consultório em até duas, três sessões. Já o clareamento caseiro, a gente demora um pouquinho mais de obter esse resultado, porque é um dos tratamentos que demora um pouquinho mais, geralmente de duas a três semanas, então o clareamento de consultório a gente obtém mais rápido na primeira sessão a gente já consegue ver um resultado bom.

Olga Goulart – O tratamento é doloroso? Para fazer esse clareamento a laser é necessário anestesia ou não?
Dra. Marta Jones – Não. Não há necessidade de anestesia, na verdade ele pode se tornar um pouco mais desconfortável no caso de pacientes que tenham alguma sensibilidade dentinária, mas como eu falei anteriormente, pode ser utilizado um material que já tenha o dessensibilizante, como eu falei anteriormente, ou também ele pode estar fazendo o uso da terapia a laser, que seria o laser terapêutico, que ele contribui muito em relação a essa parte de desconforto e de sensibilidade dentinária.

Olga Goulart – O clareamento a laser pode enfraquecer ou mesmo desgastar os dentes, doutora?
Dra. Marta Jones – Não, desde que o procedimento ele seja feito por um profissional habilitado para tal tratamento e seguir todas as normas, todas as indicações do fabricante. Então, a gente trabalhando de uma forma correta, segura e indicada, não haverá dano ao dente. Haverá dano ao dente se a gente não tiver seguindo todas essas orientações do fabricante. Então se o fabricante pede que o paciente ele use, por exemplo, num tratamento caseiro de duas a quatro horas, é importante que ele siga essa orientação, porque se esse gel ele apresentar um tempo maior do que o indicado, aí sim ele vai causar dano à estrutura dental. Então, é sempre importante seguir a orientação do fabricante.

Olga Goulart – Há necessidade de algum cuidado preventivo antes de se iniciar o clareamento?
Dra. Marta Jones – Sim. Para os pacientes que tenham um histórico de sensibilidade dentinária é interessante que o paciente, pelo menos uma semana antes, ele já venha escovando os dentes com pastas próprias para sensibilidade. Em casos de restaurações quebradas ou infiltradas, elas devem ser trocadas antes do clareamento e, no caso de presença de restaurações pequenas ou extensas, a gente pode estar protegendo essas restaurações ou utilizando uma barreira gengival que é o mesmo produto que a gente utiliza na barreira gengival, a gente pode estar colocando em cima dessas restaurações ou na margem dela, a fim de evitar danos a essa estrutura. Então nesses casos é bom a gente sempre estar fazendo um polimento dessas restaurações após o tratamento clareador.

Olga Goulart – Doutora Marta, após esse clareamento, quais são as recomendações, quais são os cuidados adicionais?
Dra. Marta Jones – O paciente deve evitar alimentos ácidos, por exemplo, sucos com frutas cítricas, porque ela poderia estar causando uma maior sensibilidade entre os dentes, evitar pastas mais abrasivas. Então nesse período pós-tratamento do clareamento, se o paciente puder continuar utilizando essa pasta para sensibilidade seria uma boa opção, ou caso ele não tenha tido sensibilidade durante o tratamento ele pode partir para uma pasta convencional que não tenha muitos abrasivos, evitar também alimentos que tenham corantes, como eu falei antes o vinho, o shoyu, o chá-verde, o café, pelo menos algumas linhas de estudo, eles falam que a gente deve evitar esse tipo de alimento de duas até quatro horas após o clareamento, em outros estudos ele já falam num período aí de 24 horas. Então quanto mais a gente evitar esses alimentos que iriam causar essa alteração de cor, melhor, né? Aí a gente vai ter uma longevidade maior desse clareamento.

Olga Goulart – Os dentes uma vez clareados, seja pela técnica de consultório ou caseira, podem voltar a escurecer?
Dra. Marta Jones – Sim. Isso aí na verdade vai depender do motivo da alteração de cor dos dentes, né? No caso de exposição a esses alimentos corantes que eu acabei de falar, o tabagismo e até mesmo o próprio envelhecimento fisiológico do dente, isso sim vai levar a alteração de cor desses dentes. Então a longevidade do tratamento, ele vai depender dessa maior ou menor exposição a esses fatores que causam essas alterações de cor.

Olga Goulart – Para finalizar doutora, existe algum risco para a saúde no tratamento de clareamento dental?
Dra. Marta Jones – Existe o risco, desde que o profissional ou o paciente, eles não sigam o protocolo correto do clareamento dito pelo fabricante, então eu gosto de frisar essa questão, porque se a gente seguir todas as orientações a gente vai evitar riscos futuros, né? Então o extravasamento do gel clareador tanto no consultório quanto no caseiro ele pode provocar úlceras ou lesões na gengiva como também pode promover uma toxicidade sistêmica, por isso o uso desses géis clareadores eles não devem ser feitos de forma indiscriminada ou descontrolada. Hoje esses géis clareadores eles só são vendidos para o cliente em lojas de produtos odontológicos com a prescrição do cirurgião-dentista. Então antigamente o paciente ele ia para as lojas que vendiam esses produtos odontológicos e eles compravam isso de uma forma indiscriminada, então hoje o paciente ele só consegue comprar esses produtos com a prescrição do cirurgião-dentista ou ele indo até o consultório e passando por uma avaliação.

Olga Goulart – Conversamos com doutora Marta Jones, odontologista. Doutora, muito obrigada e até a próxima.